Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de setembro de 2016. Atualizado às 08h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Bolsa de Tóquio fecha em alta, após Kuroda descartar retirada de estímulos

A Bolsa de Tóquio fechou em alta moderada nesta segunda-feira (5), após o presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, descartar a possibilidade de reduzir estímulos monetários.

O Nikkei, que reúne as ações mais negociadas na capital japonesa, subiu 0,66%, encerrando o dia a 17.037,63 pontos, depois de acumular ganhos de 3,45% na semana passada.

Em discurso feito durante seminário em Tóquio, Kuroda não deu indicações claras do que o BC japonês pretende fazer na reunião de política monetária dos dias 20 e 21 de setembro, mas refutou a possibilidade de retirar estímulos já adotados, como se chegou a especular nos mercados financeiros japoneses.

O desempenho positivo em Tóquio hoje também veio em meio à valorização da maioria das bolsas asiáticas, após dados mais fracos do que o esperado de criação de empregos nos EUA reduzirem as expectativas de um aumento de juros iminente pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Destacaram-se em alta no mercado japonês as fabricantes de eletrônicos Sony (+1,52%) e de equipamentos fotográficos Canon (+1,58%).

Incertezas sobre a política futura do BoJ, no entanto, acabaram pressionando ações do setor financeiro. Foi o caso da Sumitomo Mitsui Trust Holdings (-1,8%) e do Mitsubishi UFJ Financial Group (-1,5%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia