Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de setembro de 2016. Atualizado às 13h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 04/09 às 13h29min

Para Meirelles, alta de juro nos EUA não é risco

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, teria demonstrado "admiração" com a recuperação dos índices de confiança na economia brasileira durante reunião com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. No encontro, Lew e Meirelles debateram a situação das duas economias e, segundo o brasileiro, não houve avaliação sobre a alta dos juros norte-americanos. Meirelles, porém, minimiza potenciais problemas gerados por essa decisão amplamente esperada e avaliou que a melhora da economia brasileira "mais do que compensa" eventuais reações geradas pela decisão nos EUA.
"Lew expressou admiração pela velocidade da recuperação da confiança no Brasil, principalmente do consumidor, da indústria, do comércio e dos serviços", disse Meirelles, após o encontro bilateral de pouco mais de 30 minutos. O secretário dos EUA também citou como positiva a recuperação da confiança dos investidores internacionais expressa pela queda dos indicadores de risco.
"O que, portanto, mostra que há confiança muito grande no que vai ser feito e, mesmo quando era um governo interino, a confiança foi concretizada com aumento de investimentos", disse Meirelles.
Segundo Meirelles, a política monetária dos EUA não foi debatida com Lew - já que o tema é de responsabilidade do Federal Reserve banco central dos EUA. "A minha opinião sobre os juros americanos é que vai ser processo gradual (de alta), já anunciado há muito tempo. É processo muito anunciado e bastante moderado."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia