Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de setembro de 2016. Atualizado às 11h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

PMI industrial do Brasil cai a 45,7 pontos em agosto, revela Markit

O índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) da indústria brasileira caiu para 45,7 pontos em agosto, de 46,0 pontos em julho, informou a Markit. Trata-se do 19º mês consecutivo de contração da atividade, mostrada quando o indicador fica abaixo do patamar de 50 pontos.

Segundo a Markit, os pedidos de nova encomenda caíram em agosto, com os entrevistados relatando demanda franca tanto no mercado interno como no externo. Os pedidos de exportações caíram pelo terceiro mês seguido. Na divisão por segmentos, os produtos voltados ao consumidor subiram pela primeira vez desde março de 2015.

Os preços aos produtores continuaram subindo, com os gerentes entrevistados citando aumentos em materiais como metais, insumos químicos, plásticos, têxteis, alimentos e papel. Os preços ao consumidor também avançaram, mas no menor ritmo em mais de um ano. Os números de empregados ainda seguem recuando, assim como as encomendas pendentes e os estoques de matérias-primas e produtos acabados.

A analista Pollyana de Lima, responsável pelo relatório, diz que agosto não trouxe um alívio para os problemas que a indústria brasileira enfrenta. "Embora a estabilização da crise política provavelmente dê um impulso à confiança de empresas e consumidores, uma retomada no curto prazo é improvável", comenta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia