Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de setembro de 2016. Atualizado às 22h43.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Lançamento

Notícia da edição impressa de 30/09/2016. Alterada em 29/09 às 22h12min

Jeep apresenta seu segundo veículo produzido no Brasil: o Compass

Na cabine, convivem estilo sóbrio e revestimentos de alta qualidade

Na cabine, convivem estilo sóbrio e revestimentos de alta qualidade


FCA/DIVULGAÇÃO/JC
O modelo estreia no mercado nacional, tanto em produção quanto em vendas; e, no ano que vem, será feito em outras fábricas, com introdução em mais de 100 países. O produto tem papel importante no objetivo da Jeep de se tornar líder global de SUVs.
"O Compass fará a ponte entre o Renegade e nossa linha de importados, composta por Cherokee, Wrangler e Grand Cherokee", explica Sérgio Ferreira, diretor-geral da Jeep para a América Latina.
No design, o Compass não esconde sua origem. Lá estão a grade frontal de sete fendas e os para-lamas de contornos trapezoidais, complementados pelo teto descendente na traseira e pelos conjuntos óticos com assinaturas de LED.
O capô em formato de concha ostenta um ressalto central esculpido. Um friso começa na base da coluna A, acompanha a linha superior dos vidros laterais, atravessa a coluna C e contorna o vidro traseiro.
O interior alia materiais e acabamento de alto padrão a um generoso espaçoso. Há ainda detalhes refinados em cinza escuro ou preto brilhante, de acordo com a versão.
A tela configurável de TFT (presente em todas as versões, podendo ser colorida) no quadro de instrumentos exibe informações do computador de bordo e de outros sistemas, como áudio, navegação GPS, telefonia e recursos de segurança. Motorista e passageiro dianteiro podem regular eletricamente seus bancos.
Todo Jeep Compass virá equipado com a central multimídia Uconnect com tela sensível ao toque, navegador GPS embutido, câmera de ré e conexões Bluetooth e USB. A partir da versão Longitude, o monitor é colorido de 8,4 polegadas, com funções extras como controle do ar-condicionado e comandos de voz mais avançados.
A eletrônica embarcada é bastante difundida no veículo. Ele possui, de série, controle eletrônico de estabilidade, sistema anticapotamento, monitoramento de pressão de pneus, controle de velocidade de cruzeiro, assistente de partida em rampa, freio de estacionamento elétrico, faróis de neblina com função "cornering" (acende do lado que se esterça em manobras ou em baixas velocidades) e direção de torque dinâmico, a qual induz o condutor a virar o volante corretamente em uma situação de perda de aderência.
Nas versões mais caras aparecem dispositivos mais avançados, como controle adaptativo de velocidade, monitoramento de mudança de faixa, farol alto automático, aviso e prevenção de colisão frontal - que engloba a frenagem automática - e estacionamento automático para vagas paralelas e perpendiculares.
O Compass oferece como conjunto motriz de entrada o novo propulsor 2.0 Tigershark bicombustível e câmbio automático de seis marchas. A oferta de potência é de 166 cv, com 200,9 Nm de torque.
O trem de força mais sofisticado combina motor 2.0 Multijet II turbo diesel, caixa automática de nove marchas e tração 4x4. Nesse caso, a potência sobe para 170 cv, e o torque, para quase 350 Nm.
A tração 4x4 incluiu função reduzida e o sistema Selec-Terrain, que prepara o veículo para diferentes pisos: neve (Snow, para terrenos escorregadios), areia (Sand), lama (Mud) e pedras (Rock), este último exclusivo da versão top de linha Trailhawk.
Quando a tração nas quatro rodas não é necessária, o eixo traseiro fica totalmente desconectado, para economizar combustível e reduzir o desgaste dos componentes. Mas a unidade de transferência de força localizada na dianteira reacopla automaticamente o eixo cardã, que envia o torque para as rodas de trás, caso seja detectada uma situação de risco.
A garantia do Jeep Compass é de três anos (podendo ser estendida por mais um ou dois anos) sem limite de quilometragem. As revisões serão realizadas a cada 12 mil quilômetros nos exemplares com motorização flex e a cada 20 mil naqueles com propulsor turbodiesel. Apenas a troca de óleo e filtro de óleo deve ser feita anualmente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia