Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de setembro de 2016. Atualizado às 23h28.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado

Notícia da edição impressa de 09/09/2016. Alterada em 08/09 às 20h49min

Sistema de eficiência motriz da Chevrolet chega à linha 2017 de Cobalt

Enorme porta-malas, de 563 litros, é um dos trunfos do sedã médio-compacto

Enorme porta-malas, de 563 litros, é um dos trunfos do sedã médio-compacto


GENERAL MOTORS/DIVULGAÇÃO/JC
No sedã Cobalt e no monovolume Spin, a base mecânica é o motor 1.8 de nova geração, que entrega potência e força superiores em rotações mais baixas. São até 111 cv e 173,5 Nm de torque quando o tanque está abastecido com etanol.
Isso se traduz em acelerações e retomadas de velocidade mais vigorosas, otimizadas pela nova transmissão manual de seis marchas, que também contribui com a redução do consumo e do nível de ruído. Para quem busca mais conforto e praticidade, há ainda opção de câmbio automático, também de seis marchas, cujo funcionamento ficou mais suave e linear.
Dentro do propulsor, pistões, bielas e anéis foram redesenhados e ficaram mais leves. A taxa de compressão foi redefinida, e o módulo eletrônico, responsável por controlar as diversas funções do motor, ganhou 40% em velocidade de processamento. Os veículos perderam peso, sofreram ajustes na suspensão e adotaram a direção com assistência elétrica progressiva, medidas que aprimoraram a dirigibilidade.
O Spin ainda incorporou a grade ativa do radiador, que tem como principal objetivo reduzir o arrasto aerodinâmico através do controle de abertura e fechamento das aletas, restringindo a entrada de ar para o compartimento do propulsor quando não há necessidade de suprir o sistema de arrefecimento ou o ar-condicionado do veículo. O mecanismo ainda permite reter calor no cofre do motor para facilitar a partida a frio e melhora o desempenho.
Serviço de telemática e conveniência da Chevrolet, o OnStar está disponível para o Spin e o Cobalt. No monovolume, a marca oferecerá o recurso como cortesia por um ano em três diferentes pacotes, conforme a versão e a configuração do veículo. No sedã, o OnStar passa a estar presente também nas versões com câmbio manual - antes era exclusividade dos modelos automáticos.
No caso da picape Montana, o conceito Eco se aplica ao propulsor 1.4 (até 99 cv de potência e até 127,4 Nm de torque com etanol), o qual recebeu pistões e bielas novos, alternador de alto rendimento e sistema de arrefecimento com ventilador de menor atrito. As modificações abrangem também freios de baixo arrasto, novos rolamentos e pneus "verdes", que geram menos atrito com o solo.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia