Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de agosto de 2016. Atualizado às 17h59.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Crise Política

31/08/2016 - 17h56min. Alterada em 31/08 às 18h00min

Sartori diz que prioridade é recuperar economia e autoestima do Brasil

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), se manifestou, via Twitter, sobre a decisão do Senado de afastar definitivamente Dilma Rousseff, o que confirmou Michel Temer na Presidência da República. Sem citar a palavra impeachment, Sartori começou dizendo que a democracia "é feita de discordâncias" e que hoje o Brasil escreveu "mais um capítulo de sua história". Ele é colega de partido de Temer.
"O momento pede serenidade e o País precisa de todos nós para encontrar novos caminhos. A prioridade agora é recuperar a economia, a autoestima e a credibilidade do Brasil", afirmou Sartori por meio do microblog.
Sartori ainda disse que o presidente Temer "tem dado sinais de que governará com diálogo e articulação" e convocou os gaúchos a "contribuir para a construção deste novo momento".
Imerso numa crise financeira que se agravou desde o ano passado, o Rio Grande do Sul tem manifestado constantemente a necessidade de contar com a ajuda do governo federal para sair do buraco.
Além de se beneficiar com o projeto de renegociação das dívidas estaduais com a União (que foi aprovado na Câmara e segue para o Senado), o governo de Sartori também tem recorrido ao Planalto para outras negociações, aproveitando a influência do ministro da Casa Civil, o gaúcho Eliseu Padilha.
Semana passada, por exemplo - após o assassinato de uma mulher que ia buscar o filho no colégio em Porto Alegre evidenciar uma crise na área de segurança pública no Estado e provocar comoção no Estado -, o governador foi recebido às pressas por Temer em Brasília e conseguiu acordar o deslocamento de 150 agentes da Força de Segurança Nacional para a capital gaúcha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia