Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de agosto de 2016. Atualizado às 08h25.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

questão agrária

Alterada em 23/08 às 08h32min

Sem-terra ocupam ministério e fazenda de amigo de Temer

Cerca de 300 integrantes do Movimento Brasileiro dos Sem Terra (MBST) e da Frente Nacional de Luta (FNL) invadiram ontem o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, em Brasília. A Polícia Militar do Distrito Federal foi chamada. Segundo a pasta, vidros foram quebrados e armários foram depredadas durante a ocupação.
Os representantes dos movimentos sociais protestam contra o presidente em exercício Michel Temer, e reivindicam reforma agrária e políticas públicas mais sólidas para os trabalhadores do campo.
O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, afirmou, em nota, que a invasão do prédio é uma agressão à sociedade brasileira. "A violência política precisa ser uma página virada na história brasileira. A invasão e os atos de vandalismo, que se seguiram provocados por movimentos ditos sociais, são agressões ao patrimônio de toda a sociedade brasileira."
Em São Paulo, cerca de 300 integrantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) invadiram nesta segunda-feira, 22, a Fazenda Esmeralda, em Duartina. A propriedade pertence a João Baptista Lima Filho, ex-assessor e amigo do presidente em exercício.
A mesma área já foi invadida outras duas vezes em maio deste ano, primeiro pelo Movimento dos Sem Terra (MST), depois pela FNL. Os sem-terra afirmaram que a ocupação visava a pressionar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para acelerar a desapropriação de áreas na região para o assentamento de famílias acampadas.
Segundo a Polícia Militar, o grupo chegou em mais de 20 carros e dois ônibus e forçou a entrada, que estava protegida por seguranças. Não houve confronto. Lima Filho, que assessorou Temer quando este era secretário da Segurança Pública em São Paulo, divide a propriedade da fazenda com a empresa de engenharia e arquitetura Argeplan, da qual também é sócio. A empresa informou que as terras são produtivas e que está tomando providências para obter a reintegração de posse. A fazenda tem 1,5 mil hectares.
Em 1º de junho, uma semana após desocupar a fazenda, o líder da FNL, José Rainha Junior, foi recebido por Temer no Palácio do Planalto, em encontro intermediado pelo deputado Paulo Pereira da Silva (Solidariedade).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia