Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de agosto de 2016. Atualizado às 17h37.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Contas Públicas

17/08/2016 - 17h32min. Alterada em 17/08 às 17h43min

Partidos de oposição pedem inspeção nas contas do governo de Sartori

Deputados reclamam que as informações oficiais sobre fluxo de caixa não é transparentes

Deputados reclamam que as informações oficiais sobre fluxo de caixa não é transparentes


TCE-RS/Divulgação/JC
A deputada Manuela D’ávila (PdoB) e os deputados Pedro Ruas (PSOL) e Luiz Fernando Mainardi (PT) apresentaram, nesta quarta-feira (17), um pedido ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) por uma inspeção no fluxo de caixa do governo estadual no ano de 2016.
Em nota, o TCE-RS afirma que os deputados reclamam que não há priorização do Poder Executivo gaúcho no pagamento dos salários do funcionalismo e que as informações oficiais a respeito do fluxo de caixa não são transparentes. Eles entendem ainda que o trabalho técnico do TCE-RS é fundamental para que o Parlamento possa avaliar a movimentação financeira do Estado e propor medidas de enfrentamento à crise financeira.
O presidente do Tribunal, Marco Peixoto, determinou que o pedido seja avaliado pela Direção de Controle e Fiscalização do TCE, a fim de verificar se a matéria já está sendo auditada nas contas de 2016 do governador. Neste caso, não haveria a necessidade de Inspeção Especial. Independentemente do procedimento, o TCE gaúcho informou que as informações solicitadas pelos deputados serão levantadas e respondidas em curto prazo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia