Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de agosto de 2016. Atualizado às 01h13.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 17/08/2016. Alterada em 17/08 às 00h41min

Candidatos à prefeitura de Porto Alegre declaram bens ao TSE

Com o registro dos candidatos que participarão do pleito deste ano, os postulantes à prefeitura de Porto Alegre também repassaram suas informações de patrimônio ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Destes, quem apresenta menor valor total de bens é o candidato do PSL, Fábio Ostermann, enquanto o maior fica com Raul Pont (PT). Somados, o patrimônio de todos os candidatos alcança R$ 4.747.051,13.
Ostermann, que está em sua primeira candidatura, declarou o total de R$ 1,3 mil, oriundos de duas contas bancárias, uma corrente e outra poupança. De acordo com o candidato, ele não possui bens em seu nome por ter investido seus recursos em desenvolvimento pessoal. Ostermann disse que mora em imóvel alugado e utiliza o transporte público e o aplicativo Uber como meio de locomoção.
Com cinco bens imóveis, sendo um deles registrado como vaga de estacionamento, Raul Pont declarou R$ 2,2 milhões. Além dos imóveis, o montante corresponde a uma conta poupança, um automóvel e uma letra de crédito imobiliário, mais conhecido como CDB. Pont afirma ter declarado seu patrimônio total, que também pertence a sua esposa. Ele atribui o acumulo de bens imóveis aos seus anos como professor universitário e aos seus 72 anos de vida. Em sua última candidatura à Assembleia Legislativa, em 2010, seu patrimônio declarado era de R$ 844 mil e contava com dois imóveis a menos.
A candidata do PSOL, Luciana Genro, que lidera a única pesquisa de intenção de voto feita até o momento, declarou seu percentual de patrimônio no imóvel que divide com o marido, no valor de R$ 150 mil. O total de seus bens é de R$ 201 mil. Em 2014, Luciana concorreu à presidência da República. O total de bens declarados à época foi de R$ 185 mil.
Nelson Marchezan Júnior declarou um total de R$ 778 mil, em um apartamento, terra nua, duas contas-correntes e uma poupança e seguro previdenciário. No pleito de 2014, o valor declarado havia sido de R$ 302 mil, correspondentes a dois imóveis.
O atual vice-prefeito, Sebastião Melo (PMDB), que agora concorre ao cargo de chefe do Executivo, relata um total de bens de R$ 548 mil, que correspondem a dois bens imóveis, parte de uma indenização, um fundo de investimento, ações da Petrobras e um automóvel. Em 2012, quando foi eleito vice-prefeito, seu patrimônio total era de R$ 450 mil.
Com patrimônio de R$ 525 mil, o candidato do PTB, Maurício Dziedricki, declarou valores em duas contas-correntes, sua participação societária na Unitec, uma fração de terreno em condomínio residencial, outra fração de terra na estrada Ponta Grossa e um automóvel no valor de R$ 109 mil.
Marcello Chiodo (PV) tem patrimônio de R$ 300.500,00, correspondentes a um apartamento, no valor de R$ 300 mil, e sua parcela como sócio de um salão de beleza, no valor de R$ 500,00. Chiodo foi candidato à Câmara de Porto Alegre em 2012. Na ocasião, nenhum bem foi declarado. O PV conseguiu participar do pleito com candidatura própria graças à liminar concedida pela 1ª Zona Eleitoral de Porto Alegre nesta segunda-feira, última data para registros.
João Carlos Rodrigues (PMN) repassou a informação de R$ 118 mil, que correspondem a sua participação na empresa Sergsul e dois veículos. Não constam bens declarados em sua última candidatura, no ano de 2010. Julio Flores (PSTU) apresentou apenas um apartamento, no valor de R$ 60 mil. Suas duas candidaturas passadas também apresentaram um único imóvel, no valor de R$ 30 mil.
Estas e outras informações sobre os candidatos podem ser conferidas no site www.tse.jus.br/eleicoes.

Patrimônio dos candidatos

  • Fábio Ostermann (PSL): R$1.344,48
  • João Rodrigues (PMN): R$118.000,00
  • Julio Flores (PSTU): R$ 60.000,00
  • Luciana Genro (P-Sol): R$201.063,63
  • Maurício Dziedricki (PTB): R$525.426,52
  • Raul Pont (PT): R$2.253.918,78
  • Sebastião Mello (PMDB): R$548.353,82
  • Marcello Chiodo (PV): R$ 300.500,00
  • Nelson Marchezan Junior: R$738.443,90
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia