Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de agosto de 2016. Atualizado às 14h52.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Pesquisa

Notícia da edição impressa de 16/08/2016. Alterada em 16/08 às 14h55min

Ex-presidente Lula tem a pior avaliação desde 2006

Apesar do momento adverso, Lula ainda lidera sondagens sobre 2018

Apesar do momento adverso, Lula ainda lidera sondagens sobre 2018


Ricardo Stuckert/Instituto Lula/Divulgação/JC
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, maior cabo eleitoral do PT, tem neste ano a pior avaliação que já recebeu da população desde 2006. Segundo levantamentos realizados pelo Datafolha, o percentual de brasileiros que consideram o petista como o melhor presidente que o País já teve variou entre 35%, na pesquisa de março, e 40%, na de abril.
O portal Terra informou que, em ato nesta segunda (15) em Santo André, ABC paulista, o ex-presidente se queixou de estar fora dos holofotes da Rio-2016, e disse: "Na abertura, me senti como no filme 'Esqueceram de Mim' e me dei conta que não haveria Jogos Olímpicos se não fosse por mim".
Nas pesquisas anteriores, o percentual variou de 35%, em 2006 - quando a avaliação considerava o primeiro mandato de Lula - a 50% em 2015, chegando a 71% em 2010, durante o último ano de seu governo.
O PT tem o desafio de enfrentar eleições municipais em um ano em que a legenda é atingida pelo escândalo dos desvios na Petrobras, investigados pela Operação Lava Jato, e o processo de impeachment contra a presidente afastada, Dilma Rousseff.
Na quarta-feira passada, em reunião com as bancadas do PT na Câmara dos Deputados e no Senado, em Brasília, Lula pediu união para que o PT possa se reconstruir após o impeachment.
Em convenção realizada no mês passado na capital paulista, o ex-presidente oficializou a candidatura à reeleição de Fernando Haddad para a prefeitura de São Paulo. Ele falou da "coragem" do prefeito em reduzir a velocidade nas marginais e do comprometimento de São Paulo com a educação.
Apesar da desfavorável avaliação, o ex-presidente lidera isoladamente as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial de 2018, de acordo com o Datafolha.
No cenário em que Aécio Neves aparece como postulante à presidência pelo PSDB, Lula tem, atualmente, 22% das intenções de voto, à frente de Marina (17%) e Aécio (14%), que dividem a segunda colocação.
Quando o adversário tucano é Geraldo Alckmin, o petista é escolhido por 23%. Na simulação em que Serra representa a candidatura do PSDB, Lula continua com 23%.
Lula, no entanto, mantém o pior índice de rejeição entre todos os candidatos: 46% do eleitorado afirmou que não votaria de jeito nenhum no petista para presidente da República em 2018.
Aécio e o presidente interino Michel Temer aparecem empatados na segunda colocação, com 29%. Em seguida vêm José Serra (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSC), com 19% de rejeição.

Site defende governos petistas e critica 'golpe' de Temer

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criou um site para defender seu governo, o da sucessora Dilma Rousseff, e "denunciar o golpe" do presidente interino Michel Temer (PMDB). O petista, na página, rebate acusações de envolvimento na Lava Jato e até publica uma seção de "mitos sobre o Lula", com supostas informações que circulam contra ele e sua família. Num vídeo de apresentação, Lula diz que seu objetivo com o novo espaço é reforçar a luta pela democracia e o estado de direito, diz que o País passa por um grave momento e que é preciso defender avanços conquistados. O site está no ar há três semanas.
O portal noticia que o ex-presidente recorreu à ONU por "retaliações" da Lava Jato, exibe fotos de Lula com o povo durante seu governo e o petista cita as Olimpíadas do Rio de Janeiro como uma conquista de sua gestão. Diz que o Brasil que realiza os jogos não é o mesmo e que o governo de Michel Temer levará o País de volta ao "segundo time".
"Durante sete anos, o governo Lula e o governo da presidenta Dilma Rousseff trabalharam com o governo estadual e a prefeitura do Rio para garantir a conclusão das obras olímpicas, de infraestrutura, de comunicações, mobilidade e segurança necessárias para o sucesso da Rio 2016. O povo brasileiro provou, sim, do que é capaz... Hoje, vivemos um momento político muito distinto daquele de 2009 (ano em que o Rio foi escolhido sede) - com a democracia e as conquistas sociais ameaçadas por um golpe de estado parlamentar. O País vive sob um governo provisório que planeja entregar nossas riquezas 'a começar pelo pré-sal' e levar o Brasil de volta ao segundo time", diz o portal de Lula.
Há uma seção no site em que alguns textos são traduzidos para o espanhol e inglês. O site diz que Lula é vítima de boatos e mentiras há muitos e muitos anos. E criou a seção "Mitos sobre Lula", que traz os "boatos" sobre o ex-presidente e pede aos internautas que ajudem para a divulgação das informações reais. Entre os "boatos", o site elenca as manchetes, em tom de ironia: "O filho de Lula é dono da Friboi, de um avião, da Torre Eiffel e da Casa Branca"; "Lula está com câncer no pâncreas, no pulmão e até já morreu"; "Lula deu sorte e já pegou a economia bombando"; e "Lula não criou o Bolsa Família: ele já pegou tudo pronto", ironizam as frases criadas para a campanha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia