Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de agosto de 2016. Atualizado às 14h34.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 08/08/2016. Alterada em 08/08 às 14h35min

Juíza determina afastamento de Cassio Trogildo da presidência

Juliana Mastrascusa, especial para o JC
A juíza Andréia Terre do Amaral, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, pediu a suspensão da eleição de Cassio Trogildo (PTB) para a presidência da Câmara Municipal.
O vereador está no cargo desde o início do ano e responde na Justiça Eleitoral uma ação popular por compra de votos. Em 2013 o parlamentar teve seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), com a acusação de ter usado serviços da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), da qual foi secretário, para se promover.
Trogildo recebeu liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para continuar com o mandato parlamentar.
No documento, a juíza considera a proximidade do término do mandato e lembra que, em casos especiais, o presidente da Câmara pode assumir o cargo de prefeito da cidade.
"Muito embora o vereador tenha manejado ação cautelar e obtido provimento liminar favorável, neste momento de exame sumário é possível constatar que os fatos imputados são por demais graves e violadores da moralidade pública", escreve a juíza.
A assessoria do vereador afirma que Cassio Trogildo somente irá se manifestar após notificação da Câmara Municipal, o que não aconteceu até o fechamento desta edição.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia