Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de agosto de 2016. Atualizado às 22h35.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 24/08/2016. Alterada em 23/08 às 20h55min

As crianças e o valor do dinheiro

Denise Hills
Você já parou para pensar em como aprendeu a lidar com o dinheiro? Se o seu caso foi parecido com o da maioria das pessoas, a resposta provavelmente foi: "lidando". Um belo dia, um "fenômeno" chamado salário apareceu na sua conta-corrente. A partir daí, você começou a usar este dinheiro de muitas formas. E, se novamente você for parecido com a maioria das pessoas, dá até para adivinhar o que você fez com ele: comprou coisas e provavelmente gastou até o último centavo, acertei? É assim que acontece na maioria das vezes. Chega a ser exceção aquele que, junto com o "recebe e gasta" do dia a dia, inclui o poupar. Com o tempo, a tendência é tomarmos decisões e usarmos o dinheiro sem pensar muito. Mas a vida muda, e alguns eventos no meio do caminho podem fazer com que a gente olhe para o que estamos fazendo de forma diferente.
O nascimento dos filhos é um desses eventos, que tem o potencial de gerar um despertar em relação às nossas escolhas.
Especialmente aquelas que fazemos hoje e que são capazes de mudar o futuro dos nossos filhos para melhor. E por que não, nesta hora, incluir aquelas escolhas que envolvem dinheiro também?
Ao contrário do que pode parecer, isso pode fazer uma tremenda diferença no seu futuro... e no deles! Podemos envolver as crianças na lista do supermercado e pedir ajuda na hora das compras, por exemplo. Essa é uma ótima forma para ensinar sobre planejamento e escolhas conscientes. Outra sugestão é planejar objetivos em comum da família, como uma viagem. Para juntar o dinheiro desse passeio, um filho pode ficar responsável por reduzir os gastos mensais com energia e outro pela redução da conta de telefone. Acredite: isso vai fazer toda a diferença quando eles forem adultos. O mais bacana é que os ensinamentos vão muito além disso, pois o uso do dinheiro será apenas um, entre muitos valores transmitidos, como amor, carinho e atenção.
Superintendente de Sustentabilidade do Itaú Unibanco
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia