Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de agosto de 2016. Atualizado às 22h44.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Imigração

Notícia da edição impressa de 03/08/2016. Alterada em 02/08 às 21h28min

Mortes de refugiados crescem 26% em um ano

Mais de 4 mil migrantes e refugiados morreram neste ano durante seus deslocamentos, um aumento de 26% em relação ao mesmo período de 2015, anunciou ontem a Organização Internacional para as Migrações (OIM). Um total de 4.027 migrantes perderam a vida quando tentavam cruzar o Mar Mediterrâneo, estradas do Norte da África e a fronteira entre a Turquia e a Síria, entre 1 de janeiro e 31 de julho.
A grande maioria - 3.120 pessoas - morreu no Mediterrâneo. A rota marítima mais perigosa continua sendo a travessia para a Itália, que deixou 2.692 mortos, muito à frente dos itinerários a caminho da Grécia (383 mortos) e da Espanha (45 mortos).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia