Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de agosto de 2016. Atualizado às 12h05.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

segurança

Alterada em 30/08 às 12h08min

Força Nacional começa a patrulhar ruas de Porto Alegre

Homens atuam em duplas com um policiais da Brigada Militar

Homens atuam em duplas com um policiais da Brigada Militar


Robson Alves/BM/Divulgação/JC
Agência Brasil
Os agentes da Força Nacional de Segurança (FNS) que foram enviados ao Rio Grande do Sul começaram nesta terça-feira (30) a atuar no policiamento ostensivo da capital do estado. Cada um dos 136 homens atua em par com um policial da Brigada Militar (BM) no patrulhamento de Porto Alegre.
Os homens da Força Nacional reforçam o efetivo da Brigada Militar na Operação Avante, principal ação de combate à criminalidade na capital gaúcha. Eles patrulharão as áreas de maior movimento e concentração de pessoas na cidade. "Na medida em que forem conhecendo a realidade e a rotina de Porto Alegre, poderemos utilizá-los em ações de maior complexidade", disse o comandante do Comando de Policiamento da Capital, coronel Mário Ikeda.
A vinda dos agentes foi uma solicitação do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, em reunião com o presidente interino Michel Temer, na última sexta-feira (26). O pedido faz parte de uma série de medidas tomadas em razão da crise na segurança no estado, que culminou com o pedido de exoneração do secretário de Segurança Pública, Wantuir Jacini, um dia antes do encontro entre Sartori e Temer.
Originalmente, os homens da Força Nacional haviam sido convocados para atuar na segurança de presídios. O governador, no entanto, mudou de ideia e irá empregá-los no policiamento ostensivo. Em um primeiro momento, a atuação dos agentes estará restrita à cidade de Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia