Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de agosto de 2016. Atualizado às 01h17.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Notícia da edição impressa de 18/08/2016. Alterada em 17/08 às 18h44min

Johnson Controls investiga vazamento no complexo da GM

A empresa Johnson Controls informou ontem, por meio de nota, que investiga as causas do vazamento na fábrica situada no complexo da General Motors em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Pelo menos 12 funcionários tiveram de ser levados a um hospital da cidade após o incidente na manhã de segunda-feira.
A empresa confirmou o vazamento de produto químico utilizado na fabricação de espuma dos assentos dos veículos da GM. A unidade é uma das sistemistas do complexo.
Segundo a Johnson Controls, o vazamento foi contido rapidamente e se restringiu ao interior da fábrica. Foram afastados riscos à saúde ou segurança dos funcionários. "Como medida de precaução, 12 funcionários foram levados a um hospital para avaliação. Nenhuma lesão ou doença foi diagnosticada", garantiu a empresa. Os empregados foram liberados e voltaram a trabalhar na terça-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia