Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 05 de agosto de 2016. Atualizado às 00h08.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

10 anos da lei Lei Maria da Penha

Notícia da edição impressa de 05/08/2016. Alterada em 04/08 às 21h35min

Lei Maria da Penha reduziu feminicídios em 10%

A Lei Maria da Penha, que completa 10 anos neste domingo, é considerada, pela Organização das Nações Unidas (ONU), uma das três melhores legislações do mundo para o enfrentamento à violência contra as mulheres. A lei foi responsável por evitar milhares de casos de agressões no País, colaborando para a diminuição em cerca de 10% da taxa de homicídio de mulheres dentro das residências, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No caso das negras, entretanto, a taxa de homicídios aumentou 54%, segundo o Mapa da Violência 2015, deixando claro que ainda são necessários muitos avanços para o fim do ciclo da violência contra a mulher.
Dados da pesquisa "Percepções dos homens sobre a violência doméstica", realizada pelo Instituto Avon em parceria com o Data Popular, mostram a predisposição para uma mudança de atitude. Segundo o estudo, 68% dos homens dizem que, caso enfrentassem problemas em algum relacionamento por conta de atitudes agressivas, aceitariam participar de algum programa que os ajudasse a mudar o comportamento. "Avanços só serão possíveis se os homens estiverem envolvidos e empenhados para essa mudança. Se eles são parte do problema, também precisam ser parte da solução", explica a coordenadora de projetos de enfrentamento à violência contra a mulher do Instituto Avon, Mafoane Odara.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia