Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de agosto de 2016. Atualizado às 00h05.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

Alterada em 25/08 às 00h09min

Juventude surpreende e bate São Paulo em pleno Morumbi

O São Paulo largou mal na sua "Copa do Mundo", como o volante Hudson havia classificado a disputa da Copa do Brasil. Uma derrota para o Juventude por 2 a 1, nesta quarta-feira (24), no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela rodada de ida das oitavas de final, gerou vaias, protestos e cobranças da torcida, além de complicar a situação do time do técnico Ricardo Gomes. Agora é preciso vencer por dois de diferença na cidade gaúcha de Caxias do Sul, no próximo dia 21, para avançar às quartas de final.
Ricardo Gomes, que havia empatado contra o Internacional na sua estreia, continua sem vencer à frente do time. Nesta quarta-feira foi o seu primeiro jogo no Morumbi. O treinador foi poupado pela torcida; o time, não. Gritos pedindo "raça" era o que mais se ouvia nas arquibancadas.
O Juventude, que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro e é comandado pelo ex-zagueiro Antonio Carlos Zago, foi mais eficiente e competente dentro de campo. Chavez salvou o péssimo primeiro tempo do São Paulo. O atacante argentino, que marcou um belo gol de cabeça, evitou que o time de Ricardo Gomes fosse para o intervalo em desvantagem.
Isso porque o Juventude abriu o placar logo aos nove minutos ao aproveitar uma falha completa da defesa tricolor e um vacilo do goleiro Dênis. O chute de Roberson passou entre o goleiro e a trave.
Sair na frente fez com que o time de Caxias do Sul apostasse mais nos contra-ataques, como foi o gol, e se fechasse na defesa. A vida do São Paulo piorou: sem criação no meio de campo a equipe tinha dificuldade de chegar ao gol. E os poucos que foram ao Morumbi - pouco mais de 6 mil torcedores - passaram a reclamar.
Um dos alvos da torcida foi o lateral-esquerdo Carlinhos. Um cruzamento errado, antes do empate, foi motivo de xingamentos e vaias. E ele deu o troco: quando alçou a bola na área com perfeição (e Chavez mostrou como se cabeceia uma bola, aos 39 minutos, e fez o 1 a 1), pediu que a torcida aplaudisse mais a equipe. Houve quem aprovou a atitude e quem não gostou. “Sei que o time não está ajudando, mas só pedi que apoiassem da forma como estavam vaiando”, afirmou.
Ricardo Gomes buscou arrumar o time no vestiário e o São Paulo voltou para o segundo tempo com Michel Bastos no lugar de João Schmidt. Foi uma substituição acertada e que trouxe resultado. A equipe melhorou, passou a criar mais chances de gol, mas não conseguiu virar.
E pior: sofreu mais o segundo. Thiago Mendes cometeu um pênalti em Lucas e o Juventude voltou a ficar na frente. Roberson cobrou no meio do gol e não deu chances para Dênis e colocou o São Paulo em crise.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia