Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de agosto de 2016. Atualizado às 09h37.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Rio-2016

Preso presidente do Comitê Olímpico da Irlanda por venda ilegal de ingressos

Agência Brasil
Policiais civis prenderam nesta quarta-feira (17), no Rio de Janeiro, o irlandês Patrick Joseph Hickey, presidente do Comitê Olímpico da Irlanda e membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), por suspeita de envolvimento com um esquema internacional de venda ilegal de ingressos. Contra ele, havia um mandado de prisão expedido pela Justiça fluminense. Os agentes também cumpriram um mandado de busca e apreensão.

Hickey é suspeito de cambismo, isto é, vender ingressos acima do preço impresso nos bilhetes. Ex-lutador de judô, Hickey é membro do Comitê de Coordenação dos Jogos Rio 2016, responsável por acompanhar o planejamento e a organização do evento.

Em suas investigações contra a venda ilegal de ingressos da Rio 2016, a Delegacia de Defraudações e o Núcleo de Apoio a Grandes Eventos da Polícia Civil (Nage) já tinham prendido em flagrante o diretor da empresa britânica THG, Kevin Mallon, e uma funcionária da empresa Bárbara Carnieri, no dia 5 de agosto.

Nesta semana, a Justiça decretou as prisões de outros quatro diretores da THG, especializada no comércio de ingressos e receptividade executiva em grandes eventos esportivos: David Patrick Gilmore, Marcus Paul Bruce Evans, Maarten Van Os e Martin Studd. Como eles estão fora do país, o mandado de prisão foi comunicado à Polícia Federal e à polícia internacional Interpol.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia