Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de agosto de 2016. Atualizado às 21h07.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Atletismo

16/08/2016 - 21h08min. Alterada em 16/08 às 21h08min

COI elimina equipe de revezamento 4 x 100 m russa e Brasil herda medalha de bronze da Olimpíada de Pequim

Folhapress
O revezamento 4 x 100 m feminino do Brasil herdou a medalha de bronze na Olimpíada de Pequim-2008, depois de o COI (Comitê Olímpico Internacional) anunciar nesta quarta-feira (16) que uma das atletas russas medalhista de ouro foi pega em exame antidoping. 
Com isso, toda a equipe russa que participou da prova foi desclassificada. A Bélgica herdou o ouro, a Nigéria a prata e o Brasil, quarta colocada inicialmente, o bronze.
O time brasileiro na ocasião, na final, foi formado pelas velocistas Rosemar Coelho Neto, Thaissa Presti, Lucimar de Moura e Rosângela Santos.
Santos tinha apenas 17 anos em 2008 e está na Rio-2016. Ela é uma das apostas da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo) na equipe de 4 x 100 m feminino, em que a confederação vê possibilidades de uma medalha de bronze na final que será realizada na sexta (19).
A russa flagrada foi Iulia Chermoshanskaya, por duas substâncias anabolizantes. Ela foi testada em campanha do COI de realizar revisão de testes das Olimpíadas de 2008 e 2012, com métodos novos.
Com o novo bronze, o Brasil acumulou 16 medalhas em Pequim, com três de ouro, quatro de prata e nove de bronze, igualando a Holanda no total ganho, mas permanecendo no 17° lugar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia