Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de agosto de 2016. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Rio 2016

Notícia da edição impressa de 03/08/2016. Alterada em 02/08 às 22h41min

Água inspira cuidados, mas não aterroriza remadores estrangeiros

A poluição nas águas do Rio de Janeiro serve de alerta, mas, até o momento, não causa medidas drásticas por parte de remadores estrangeiros que participarão das Olimpíadas de 2016. Antes dos Jogos, por exemplo, a equipe de remo dos EUA chegou a falar em usar uma roupa com proteção antimicróbios para treinar na lagoa Rodrigo de Freitas.
O australiano James McRae, da categoria Four Skiff, garantiu ontem não ter visto nada nesse nível em outras delegações, tampouco entre os atletas da Austrália. "Tomamos algumas precauções básicas, como evitar que nossas garrafas tenham contato com a água da lagoa, mas nada além disso", afirmou.Perguntado sobre seu nível de preocupação com a poluição no local, McRae, mostrou leveza. "Estamos conscientes de que há algumas questões. Bem, eu não beberia a água", declarou, com um sorriso.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia