Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de novembro de 2016. Atualizado às 11h53.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Crédito

31/08/2016 - 16h52min. Alterada em 31/08 às 16h52min

GetNet projeta expansão acima de dois dígitos para mercado de cartões em 2017

A GetNet, do Santander, espera que o mercado de cartões volte a crescer acima dos dois dígitos no ano que vem na esteira da retomada da economia brasileira, segundo o presidente da empresa, Pedro Coutinho. Neste ano, segundo ele, o crescimento deve ficar entre 8% e 9%, acima da projeção da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), de aumento de 6,5%. No ano passado, o mercado cresceu 8,4% em relação a 2014.
"O Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre mostra que o período foi duro ainda. 2016 é um ano difícil", disse Coutinho, em conversa com a imprensa.
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira pela manhã os resultados das Contas Nacionais Trimestrais. Na comparação com o segundo trimestre de 2015, o PIB brasileiro recuou 3,8% no segundo trimestre deste ano.
"Já notamos uma melhora em julho, mas não generalizada em todo o País", acrescentou o presidente da GetNet. Segundo ele, o desempenho do mercado de cartões em agosto foi impactado pelos jogos olímpicos no Rio de Janeiro como já mostram indicadores do varejo, com alguns locais com desempenho melhor e outros não.
O presidente da GetNet lembrou que a credenciadora já aceita todas as bandeiras de cartões no modelo VAN (do inglês, value added network), no qual as credenciadoras capturam a transação, mas não fazem o processamento e liquidação das mesmas, e que o modelo pleno ou full acquirer, estará implantado até o segundo trimestre de 2017. Com isso, a GetNet começará a capturar, processar e liquidar a transação de qualquer bandeira de cartões.
Segundo Coutinho, a GetNet está com marketing share em torno dos 9%, mas não vai sacrificar sua rentabilidade para ganhar mercado. Sobre alcançar a almejada fatia de 10% neste ano, ele disse que não é possível prever. O presidente da GetNet admitiu ainda que a concorrência no mercado de adquirência segue "dura", mas que a empresa continua ganhando participação com atendimento e eficiência.
Nesta quarta, a GetNet anunciou o lançamento de uma oferta combinada de conta corrente e de adquirência voltada a profissionais liberais e autônomos e ainda microempreendedores individuais (MEI). Antes, esse pacote estava disponível apenas para grandes e médias empresas. O objetivo da GetNet, de acordo com Coutinho, é alcançar ao menos 50 mil clientes com a nova solução que traz um dispositivo móvel novo, batizado de Vermelhinha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Marcio Paglione 02/11/2016 21h12min
As empresas de cartões de crédito sempre emplacam bons resultados, com boas soluções, bons produtos e competitividade sabem enfrentar uma crise como ninguém. Adoro esse mercado!