Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de agosto de 2016. Atualizado às 17h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 30/08 às 17h44min

Petróleo fecha em queda pressionado pelo fortalecimento do dólar

Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda, nesta terça-feira, pressionados pelo fortalecimento do dólar e pelo recuo das expectativas de um congelamento de produção por parte de grandes exportadores em uma reunião no próximo mês.
O contrato WTI para outubro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) fechou em queda de US$ 0,63 (-1,34%), a US$ 46,98 por barril. Na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres, o Brent para novembro fecha em queda de US$ 0,72 (-1,36%), a US$ 48,73 por barril.
Nesta terça, o Conference Board informou que o índice de confiança do consumidor subiu de 96,7 em julho para 101,1 em agosto e superou a expectativa dos analistas, de 97,0. O dado positivo fortaleceu o dólar, já que uma economia melhor pode levar a uma elevação de juros em breve nos EUA. Como consequência, os contratos petróleo ficaram mais caros para investidores de outros países e fecharam e queda.
Nas últimas semanas, o petróleo observou fortes altas em decorrência do aumento das expectativas de investidores de que grandes produtores da commodity, incluindo membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), entrariam em um acordo para estabilizar os preços do mercado com uma possível limitação da produção.
Um congelamento da produção seria um alívio para o mercado, que viu os preços recuarem com a preocupação dos participantes do mercado sobre os excedentes globais de petróleo. Algumas autoridades de países exportadores sinalizaram que estavam abertas a negociações para a estabilização dos preços, mas as esperanças de um acordo vêm se dissipando, segundo analistas, e notícias de que o Irã estaria planejando impulsionar a produção contribuíram para isso.
Além disso, especialistas consultados pela S&P Global Platts esperam que o Departamento de Energia dos EUA reporte um aumento dos estoques de petróleo no país nesta quarta-feira, 31, em 600 mil barris. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia