Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de agosto de 2016. Atualizado às 13h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

25/08/2016 - 08h59min. Alterada em 25/08 às 08h59min

Oi esclarece que diretor jurídico não foi informado sobre ação no Rio Grande do Sul

A Oi esclareceu, em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que o diretor jurídico da Oi, Eurico de Jesus Teles Neto, não foi informado sobre o ajuizamento de uma suposta ação penal com denúncia realizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS).
Além do esclarecimento prestado pelo próprio executivo, a Oi informa que o comitê de riscos e contingências solicitou à auditoria interna um relato fundamentado sobre o tema.
A Justiça recebeu a denúncia na terça-feira (23) contra o diretor jurídico e os advogados Maurício Dal Agnol, Pablo Pacheco dos Santos, Marco Antonio Bezerra Campos e Gabriel de Freitas Melro Magadan . O executivo e os advogados são acusados de fecharem, em 2009, acordo relacionado a processos contra a operadora de telefonia, lesando quase 30 mil clientes que foram à Justiça contra a empresa.
As investigações fazem parte da Operação Carmelina, deflagrada em fevereiro de 2014, e correm na 3ª Vara Criminal de Passo Fundo. Os advogados teriam recebido R$ 50 milhões para renunciarem a 50% dos créditos de clientes em 5.557 processos a favor da Oi.
As ações contra a empresa, em regra, envolviam mais de um cliente, o que fez com fossem estimados 27 mil prejudicados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Cristiano 25/08/2016 10h43min
Vai ter mais cariocas desta diretoria sendo investigados. Alô, tchau!