Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de agosto de 2016. Atualizado às 08h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Petróleo opera em alta moderada, mas é pressionado por dados dos EUA e China

Os futuros de petróleo operam em alta moderada no começo da manhã desta quinta-feira (25), após mostrarem volatilidade durante a madrugada, mas continuam pressionados por dados desfavoráveis dos EUA e China.

Ontem, o Departamento de Energia norte-americano (DoE) estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA aumentou cerca de 2,5 milhões de barris na semana passada, contrariando a previsão de analistas, que era de queda de 200 mil barris.

Além disso, as importações líquidas de petróleo da China recuaram para 7,29 milhões de barris por dia (bpd) em julho, de 7,45 milhões de bpd no mês anterior, segundo números finais da agência de estatísticas do país. Já a demanda chinesa por petróleo teve queda anual de 61 mil bpd em julho, a 10,62 milhões de bpd.

Os investidores também vão acompanhar o simpósio anual do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) em Jackson Hole (Wyoming), que terá início nesta quinta-feira. Amanhã, o foco será um discurso da presidente do Fed, Janet Yellen.

Também continua a especulação sobre a possibilidade de um eventual acordo para congelar a produção de petróleo. No começo do mês, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) anunciou que terá discussões informais com produtores de fora do grupo, no fim de setembro, sobre formas de "estabilizar os mercados".

Às 7h04min (de Brasília), o petróleo WTI para entrega em outubro subia 0,18% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,14 por barril, enquanto o Brent para o mesmo mês avançava 0,24%, a US$ 46,88 por barril, na IntercontinentalExchange (ICE).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia