Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de agosto de 2016. Atualizado às 18h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 24/08 às 18h16min

Dólar fecha com desvalorização de 0,3%, a R$ 3,224

Agência O Globo
O dólar comercial, que abriu em alta nesta quarta-feira (24), reverteu a tendência à tarde e fechou em queda de 0,3%, a R$ 3,224, na contramão do mercado global. Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o Ibovespa, principal índice do mercado brasileiro, fechou em queda de 0,52%, a 57.717,88 pontos.
A alta do dólar se deu na contramão do mercado global - o Bloomberg Dollar Spot Index, que compara a moeda americana com uma cesta de dez moedas - avançou 0,24% e apesar da intervenção do Banco Central, que vendeu dez mil contratos de swap reverso (operação que equivale à venda futura de divisa, o que tende a sustentar a cotação do dólar). Na mínima, a moeda a americana chegou a R$ 3,22 (recuo de 0,44%) e, na máxima, a R$ 3,251 (0,52%) .
O câmbio tem oscilado, nos últimos dias, com agentes especulando sobre os próximos passos do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que avalia o cenário econômico para decidir pela alta dos juros nos EUA. Na sexta-feira, a presidente da autoridade monetária, Janet Yellen, fará um aguardado discurso no períod da manhã. "Temos um mercado nervoso, esperando por catalisadores nesta semana, e então em 21 de setembro", disse John Hardy, chefe de estratrégia de câmbio do Saxo Bank.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia