Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de agosto de 2016. Atualizado às 01h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 18/08/2016. Alterada em 18/08 às 01h12min

Intenção de compras dos gaúchos diminuiu 26,6%

A intenção de consumo das famílias gaúchas registrou queda de 26,6% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado. Aos 56,3 pontos, o indicador teve resultado negativo em todos os seus componentes. Sua média trimestral atingiu o menor patamar da série histórica, iniciada em janeiro de 2010. Os dados constam da pesquisa Intenção de Consumo das Famílias Gaúchas (ICF), divulgada ontem pela Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado (Fecomércio-RS) e que conta, no mínimo, com 600 famílias em sua amostra.
Apesar de o número de agosto ter sido marginalmente maior do que o registrado em julho, o ICF marca um pessimismo bastante acentuado por parte dos consumidores gaúchos. "O cenário segue muito restritivo. O mercado de trabalho permanece enfraquecido, impactando negativamente a renda e a confiança das famílias", pontuou o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn. Segundo ele, esse cenário, associado à inflação alta e juros elevados, também reduz o ímpeto e a capacidade de compra das famílias.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia