Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de agosto de 2016. Atualizado às 00h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 12/08/2016. Alterada em 12/08 às 00h10min

Desemprego e renda afeta serviços oferecidos à família

 EMPRESAS &NEGÓCIOS - TV A CABO - DIVULGAÇÃO STOCKPHOTO

EMPRESAS &NEGÓCIOS - TV A CABO - DIVULGAÇÃO STOCKPHOTO


STOCKPHOTO/DIVULGAÇÃO/JC
Embora a desaceleração da queda ante 2015 no volume de serviços na passagem de maio para junho seja um sinal de melhora, o aumento do desemprego e a queda no poder aquisitivo da população estão prejudicando o segmento de serviços prestados a famílias. A avaliação é de Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A queda de 7,5% nesse segmento, em junho sobre junho de 2015, foi a maior nessa base de comparação desde agosto de 2015, quando o tombo foi de 8,2%. "Os serviços prestados a famílias continuam em queda, pois são sensíveis ao desemprego e ao recuo poder aquisitivo das famílias", afirmou Saldanha.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia