Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de agosto de 2016. Atualizado às 08h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

02/08/2016 - 08h42min.

Maioria das bolsas asiáticas cai com tombo do petróleo e incertezas sobre Japão

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira (2), após uma nova queda nas cotações do petróleo e incertezas em relação ao novo pacote fiscal do Japão. Na China, por outro lado, os mercados subiram em meio ao otimismo de que Pequim dará prosseguimento aos esforços de reformas.

No Japão, o índice Nikkei caiu 1,47%, a 16.391,45 pontos, pressionado por ações do setor de energia. A exploradora de petróleo Inpex, por exemplo, sofreu um tombo de 5,5%.

Ontem, o petróleo negociado em Nova York registrou forte perda de 3,7% e entrou em território baixista, ou seja, acumulou desvalorização de mais de 20% desde que atingiu o preço máximo mais recente.

Após o fechamento da Bolsa de Tóquio, o governo japonês aprovou um pacote de estímulos fiscais no valor de 28 trilhões de ienes (US$ 274 bilhões). O anúncio, no entanto, não provocou entusiasmo em outras partes da Ásia, uma vez que o montante já havia sido mencionado pela mídia japonesa na semana passada. Além disso, a porção de novos gastos no pacote é menor do que se esperava, no total de 7,5 trilhões de ienes, e será implementada ao longo de dois anos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi recuou 0,52% em Seul, a 2.019,02 pontos, enquanto no mercado taiwanês, o Taiex apresentou perda marginal de 0,13%, a 9.068,76 pontos, e em Manila, o filipino PSEi teve queda de 0,40%, a 8.037,78 pontos. Em Hong Kong, a bolsa não operou hoje devido a um alerta de tufão.

Já os mercados chineses apagaram perdas de mais cedo e encerraram o dia em tom positivo, com a avaliação de que o governo da China vai avançar em reformas que beneficiam empresas estatais. O Xangai Composto subiu 0,6%, a 2.971,28 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto teve alta de 0,7%, a 1.926,69 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana caiu 0,8%, com o índice S&P/ASX 200 a 5.540,50 pontos. Nesta madrugada, o Banco Central da Austrália, conhecido como RBA, cortou sua taxa básica em 0,25 ponto porcentual, à nova mínima histórica de 1,5%. Embora a redução de juros em si seja positiva, a decisão do RBA gerou temores de que a perspectiva econômica do país é pior do que se imaginava.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia