Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de agosto de 2016. Atualizado às 12h07.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Osni Machado

Empresários & Cia

Notícia da edição impressa de 08/08/2016. Alterada em 05/08 às 18h39min

Jucergs trabalha forte na sua modernização

 Junta Comercial do Rio Grande do Sul (Jucergs).Entrevista com o secretário-geral da Jucergs, Cleverton Signor.

Junta Comercial do Rio Grande do Sul (Jucergs).Entrevista com o secretário-geral da Jucergs, Cleverton Signor.


FREDY VIEIRA/JC
A Junta Comercial do Rio Grande do Sul (Jucergs) passa por intenso trabalho de modernização de seus processos. Com destaque para a implantação do Projeto Junta Digital/Sem Papel para tornar a autarquia mais eficiente e integrada as demais juntas. Um dos benefícios é a facilidade dos clientes, que não necessitarão se deslocar até a Jucergs, para a abertura de empresas por exemplo, esses atos poderão ser feitos até de fora do Estado.
De acordo com o secretário-geral da Jucergs, Cleverton Signor, a implantação do projeto visa criar ferramentas de incentivo a formalização de negócios, especialmente das pequenas e médias empresas, justamente, por meio da nacionalização do sistema de registro mercantil e da disponibilização das evolutivas do sistema do integrar. As soluções tecnológicas, segundo o secretário, vão simplificar e dar celeridade ao processo.
A Junta Digital/Sem Papel tem como meta digitalizar o acervo que conta com 24 milhões de documentos e a total migração deste dados para arquivo digital até dezembro de 2017. "A digitalização evolui em um ritmo ao redor de um milhão de documentos ao mês. Estima-se que dos 24 milhões de documentos, nove milhões já foram digitados. Estamos também integrados com 57 escritórios regionais no Estado."
Informa que dos R$ 7, 418 milhões disponíveis para aplicação no projeto, a Jucergs em convênio com o Sebrae conseguiu contratar uma empresa para fazer a digitalização pelo valor de R$ 3, 438 milhões. "A economia foi de R$ 4 milhões e novos investimentos deverão ser feitos com equipamentos e na capacitação de funcionários, entre outros."
A Junta Digital está sendo implantada em conjunto com a Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (RedeSimples), com o apoio do Sebrae/RS e já atingiu 53 municípios. "O objetivo é colocar a RedeSimples em 80 municípios gaúchos até o final deste ano. A ação decorre de uma parceria entre o Estado (Jucergs), Sebrae/RS e as prefeituras, para simplificar e também tornar o registro e legalização de empresas menos burocrático," explica Signor.
Acrescenta que os empresários e os municípios saem beneficiados com a RedeSimples. O tempo médio para abertura de empresas com a concessão do alvará será significativamente reduzido. Outra vantagem, segundo Signor, é que o empresário também faz todos as ações em um único local. "Ele pode por exemplo, no momento da abertura, saber se a sua empresa está em endereço permitido por lei para funcionamento em conformidade com o Corpo de Bombeiros, entre outros."
O sistema do modelo via única, atualmente implementado na sede, para os atos de Registro de Empresários, inscrições, e extinção, bem como para os atos de constituição de Sociedade Empresária Ltda. e Empresa Individual de Responsabilidade Ltda. (Eireli) também vieram para modernizar a Junta Comercial, tendo em vista que no Via Única o cliente retira o documento pela internet certificado digitalmente. Já o Via Única para os atos de Sociedades Anônimas está previsto a partir de 22 de agosto e as alterações para 2017.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
JALDO NEVITON DE MOURA GOUVÊA 15/08/2016 10h27min
Ir de encontro a modernização é errado, porém no caso da Junta Comercial do RS. sempre que tem mudanças, vem chumbo grosso para os contadores. Exemplo O REDESIM em vez de facilitar trouxe problemas para o registro de empresas, pois a consulta prévia junta a Prefeitura contraria a Lei do Simples, pois a Empresa dependendo do grau de risco, pode constituir-se sem interferência das Prefeituras, pois tem 90 dias para regularizar-se, o que não não é possivel com a FAMIGERADA CONSULTA DE VIABILIDADE