Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de agosto de 2016. Atualizado às 17h17.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 02/08/2016. Alterada em 01/08 às 21h38min

Dormitório Viaduto

Sem tetos buscam um lar no viaduto Otávio Rocha, no Centro Histórico

Sem tetos buscam um lar no viaduto Otávio Rocha, no Centro Histórico


HENRIQUE CÉ JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/JC
Mais uma visão comum no Centro Histórico de Porto Alegre, o dormitório na calçada do Viaduto Otávio Rocha. É a nossa Vila Olímpica. De tanto que os sem-teto ocupam espaços públicos na área central, já está na hora de fazer um mapa indicando quais calçadas não estão tomadas por eles ou camelôs.

Na ponta da torneira

Novos prédios deverão ter medidor de água individual a partir de 2021, conforme lei sancionada em junho pelo presidente interino Michel Temer (PMDB). O diploma legal deverá trazer dois benefícios pelo menos. Um deles é que vai terminar, em tese, as brigas de condomínio em que os vizinhos se acusam mutuamente por gasto excessivo. O segundo é que os moradores se obrigarão a fechar a torneira.

Lá, como cá

O avanço da criminalidade é realmente geral neste País. O caso do Rio Grande do Norte, em que os bandidos criaram o caos, soma-se a de outros estados nordestinos e do Sul, nosso caso. Tem a ver com a falta de gente, qualificação e equipamentos, mas o mal maior é essa nossa legislação frouxa. Em vez de inibir o crime, até o estimula.

Duas perdas

Dois empresários de peso e tradição faleceram nos últimos dias. Atílio Manzoli, 82 anos, fundador das Lojas Manlec, morreu na sexta-feira; ontem, foi José Asmuz, 88, ligado à construção civil, ao futebol, como dirigente do Inter, e ao automobilismo, como piloto da carretera Ford número 32, nas décadas de 1950 e 1960.

Quem não é visto...

...não é lembrado. Pior erro que o vencedor de uma loteria acumulada como a Mega Sena de sábado pode cometer é dar uma de jacaré e comunicar à praça que ele é o feliz ganhador. Sem contar com os problemas de segurança, vão aparecer parentes até do Polo Norte que ele não conhecia.

Protesto do MP

Representantes da Associação do Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul, da Associação dos Servidores do Ministério Público do Estado e da Administração Superior do MP se uniram em uma mobilização em frente à sede do MP, ontem, para manifestar contrariedade ao projeto de lei que pune abuso de autoridade e que coloca em risco a autonomia do MP e Judiciário.

A vez dos novos

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) divulgou ontem a lista de gestores públicos que tiveram as contas julgadas irregulares e que podem se tornar inelegíveis (matéria nesta edição). Somando-se os inelegíveis com os que desistiram da reeleição devido aos custos de campanha ou por causa da crise, as eleições deste ano vão ser o paraíso dos novatos.

Economia em cacos

A situação de crise financeira que obrigou o Piratini a parcelar os salários do funcionalismo não atinge só o governo do Estado. Pesquisa que vai ser divulgada hoje, às 10h30min, pelo presidente da Famurs, Luciano Pinto, revela que somente uma parte das prefeituras concedeu reajuste, e 12 delas nem correção deram.

A volta por cima I

Astor Schmitt ontem na reunião-almoço da CIC Caxias
Astor Schmitt ontem na reunião-almoço da CIC Caxias
JÚLIO SOARES/OBJETIVA/DIVULGAÇÃO/JC
Cerca de 20 grandes organizações de diferentes setores encerraram suas atividades nos últimos 30 anos em Caxias do Sul. Além disso, é alta a mortalidade das jovens, além da dificuldade em atrair novos investimentos. Este foi o panorama descrito pelo empresário Astor Schmitt ontem na reunião-almoço da CIC Caxias.

A volta por cima II

Para Schmitt, a solução é desenvolver um processo de competitividade com sustentabilidade, evitando que o município repita o "passivismo", como a norte-americana Detroit e a Metade Sul do Estado. Como exemplo da volta por cima, citou a paranaense Maringá, que detectou a decadência nos anos 1990 e partiu para a ofensiva.

Miúdas

  • FIANÇAS pagas por João Santana e sua mulher são maiores que o sorteio da Mega Sena que saiu para Alegrete.
  • EXPORTAÇÃO de carne para os Estados Unidos é como a revitalização do Cais Mauá: faz que vai mas não vai.
  • DESTRUIÇÃO do carro de um funcionário do Inter não foi só por causa do jogo, mas porque era uma BMW. Inveja.
  • FAZ parte de uma realidade cada vez maior: se não pode ser meu, não vai ser teu.

Finais

  • COMO ser novo de novo será o tema do o 1º Encontro Associação Riograndense de Propaganda, sábado/8h/Instituto Ling.
  • CLEOMAR Prunzel assume como vice-presidente de administração e finanças da Stihl Brasil.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
joao carlos 02/08/2016 17h03min
A Cidade de Porto Alegre, poderia ter outros codinomes "capital dos mendigos", porto da sujeira", porto-desleixo", etc... A nossa cidade está abandonada pelo poder municipal. Na zona sul, av Eduardo Prado em um canteiro central virou lixão a céu aberto, de um lado lanchonete multinacional e do outro a vila Monte Cristo, e no meio o lixão a céu aberto. Os sugismundos deixam de tudo, desde sofá até entulho. A Prefeitura em vez de achar uma solução, simplesmente oficializa o lixão , recolhendo.