Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de agosto de 2016. Atualizado às 19h28.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Notícia da edição impressa de 18/08/2016. Alterada em 17/08 às 18h16min

Aumenta a presença de balões perto de aeronaves

Baloeiros infringem a lei e estão sujeitos a penas que vão de multas à prisão

Baloeiros infringem a lei e estão sujeitos a penas que vão de multas à prisão


APU GOMES/FOLHA PRESS/JC
Em apenas sete meses, o ano de 2016 já tem 312 registros de balões perto de aeronaves e de aeroportos. O número é praticamente o observado em todo o ano de 2014 ou de 2015 (336 e 325, respectivamente) e, segundo pilotos e administradores de aeroportos, trazem insegurança à aviação do País. Os dados são gerados por pilotos e operadores aeronáuticos e registrados pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da Aeronáutica.
De acordo com o levantamento de ocorrências, o estado de São Paulo é o campeão no registro de balões próximos a áreas de voo, com 61% dos casos. Em segundo e terceiro lugares estão o Rio de Janeiro, com 23%, e o Paraná, com 10% das ocorrências, respectivamente.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia