Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de julho de 2016. Atualizado às 00h24.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 28/07/2016. Alterada em 27/07 às 22h21min

PSL oficializa indicação de Fábio Ostermann

Convenção decide lançar chapa pura, liderada por Ostermann (centro) e Efremides (e)

Convenção decide lançar chapa pura, liderada por Ostermann (centro) e Efremides (e)


Cassiana Martins/jc
Lívia Araújo
O PSL oficializou, em convenção ontem à noite, no Plenarinho da Assembleia Legislativa, a candidatura do advogado Fábio Ostermann à prefeitura de Porto Alegre. Como vice, concorrerá o empresário da construção civil Alexis Efremides, da mesma sigla. Os nomes foram aprovados por aclamação no encontro, que durou menos de uma hora.
Ostermann falou que a plataforma de governo do PSL para o município prioriza saúde, educação, segurança e infraestrutura, e a busca de parcerias com a iniciativa privada para o aprimoramento da gestão. "O setor privado é, sim, mais inteligente que o público, e precisamos usar isso a nosso favor." O candidato destacou a situação da segurança pública na Capital, chamando a responsabilidade para a prefeitura. "Porto Alegre é a 43ª cidade mais perigosa do mundo, à frente de metrópoles como São Paulo e Rio. Não podemos sentar e esperar que o governo do Estado salve a população, mesmo porque isso não está acontecendo", criticou.
O encontro marcou também o lançamento das candidaturas de três nomes para a Câmara de Vereadores: o presidente municipal da sigla, Vinícius de Franceschi, além de Juan Saavedra e Ana Cristina Bühle.
Ostermann informou que a sigla optou por não fazer coligações. "Infelizmente o que os pequenos partidos buscam é a oportunidade de obter cargos, e não querem ser coadjuvantes de um partido pequeno."
Além de presidente estadual do PSL, Ostermann foi um dos fundadores e coordenador nacional do Movimento Brasil Livre (MBL). Já foi também diretor executivo do Instituto Liberdade (IL) e conselheiro fiscal do Instituto de Estudos Empresariais (IEE).
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia