Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 18h24.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Custo Brasil

Notícia da edição impressa de 27/07/2016. Alterada em 27/07 às 18h33min

PF indicia Paulo Bernardo por corrupção passiva

 Bernardo chegou a ser preso, mas teve a detenção revogada pelo STF

Bernardo chegou a ser preso, mas teve a detenção revogada pelo STF


JOSÉ CRUZ/ABR/JC
A Polícia Federal (PF) indiciou o ex-ministro dos governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) Paulo Bernardo por envolvimento nos crimes investigados pela Operação Custo Brasil, deflagrada em junho. A PF atribui a Bernardo, que ocupou as pastas do Planejamento e das Comunicações durante os governos petistas e foi preso pela operação, os crimes de organização criminosa e corrupção passiva no esquema que desviou R$ 100 milhões de contratos da empresa Consist com o Ministério do Planejamento.
O indiciamento de Paulo Bernardo, ou PB, como é conhecido no PT, foi concluído pela Polícia Federal na sexta-feira passada. Caberá agora ao Ministério Público Federal (MPF) analisar as provas reunidas pela PF e denunciar ou não o ex-ministro à Justiça.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia