Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de julho de 2016. Atualizado às 22h56.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 26/07/2016. Alterada em 25/07 às 22h20min

Wambert desiste de candidatura para apoiar Melo

Político almeja ser vice na chapa

Ex-pré-candidato pelo Pros manifestou preocupação com candidatos de esquerda


ANTONIO PAZ/JC
Lívia Araújo
Pré-candidato pelo Pros, Wambert di Lorenzo desistiu de concorrer à prefeitura de Porto Alegre para apoiar o atual vice-prefeito, Sebastião Melo (PMDB). Wambert confirmou ontem a mudança de planos, que justificou como decorrência de sua preocupação com a liderança dos candidatos Luciana Genro (P-Sol) e Raul Pont (PT) em pesquisas de intenção de voto. "Temos dois candidatos de esquerda e o centro democrático pulverizado, com seis. Achei isso arriscado. Tenho projetos políticos que passavam por essa eleição, mas não poderia colocá-los acima da cidade."
Para Wambert, que já havia sido candidato à prefeitura em 2012 pelo PSDB, a aliança trará vantagens à candidatura de Melo, especialmente quanto ao horário eleitoral. A legenda possui, atualmente, 11 deputados federais. Ele também acredita que Melo é um bom representante entre os candidatos de centro. "Melo é um vice-prefeito que trabalha muito e conhece profundamente a cidade."
Com a desistência, Wambert diz que avalia tanto uma candidatura a vereador quanto ser vice na chapa do peemedebista. "Têm muitos partidos pleiteando este posto. O Pros também, mas isso não foi condição para o apoio." A sigla pretendia lançar 28 candidatos à Câmara, mas o apoio a Melo obrigará a legenda a diminuir para cinco ou seis nomes, ao formar um bloco proporcional com o PPS, PSDC e PTN.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia