Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 23h47.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo do estado

Notícia da edição impressa de 15/07/2016. Alterada em 14/07 às 21h18min

Consulta Popular supera expectativa de participação

Fernandes, dos Coredes, e Sartori (ambos centro) apresentam balanço

Fernandes, dos Coredes, e Sartori (ambos centro) apresentam balanço


DANIELA BARCELLOS/PALÁCIO PIRATINI/DIVULGAÇÃO/JC
Quase 430 mil cidadãos escolheram os projetos contemplados com os R$ 50 milhões destinados à Consulta Popular, que devem ser empenhados no orçamento de 2017. Segundo o presidente do Fórum dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes), Paulo Fernandes, houve duas mudanças significativas no processo deste ano: uma no método de votação, outra de distribuição dos recursos. "Neste ano, não tivemos votação em cédulas. A votação foi feita exclusivamente de forma eletrônica. Podia ser feita pela internet, mensagens de celular ou por um aplicativo que a pessoa baixava. Por isso, os 327.356 votantes superaram a expectativa de participação feita pelos Coredes", avaliou Fernandes.
Os participantes desse ano se dividiram assim: 327.356 votaram pelo site da Consulta Popular; 67.447, pelo aplicativo; e 3.160 por SMS. Além desses, o presidente do Fórum dos Coredes ressaltou que houve uma minoria - 7.578 pessoas - que tiveram a participação considerada nula, porque tentaram votar duas vezes, uma por mensagem de celular, outra pela internet, por exemplo.
Outra mudança diz respeito à distribuição dos recursos. "Neste ano, os recursos foram distribuídos entre projetos regionais, não municipais. Os R$ 50 milhões foram divididos entre as oito secretarias de acordo com os projetos regionais eleitos pela população", observou Fernandes.
A pasta que recebeu mais recursos por ter mais projetos eleitos como prioritários foi a Saúde, que ficou com R$ 15,1 milhões. A de Agricultura, Pecuária e Irrigação ficou com R$ 11,2 milhões. Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, com R$ 10 milhões. Turismo, Esporte e Lazer, com R$ 4,3 milhões. Educação, com R$ 4,2 milhões. Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, com R$ 2,8 milhões. Cultura, com R$ 1,1 milhão. Minas e Energia, com R$ 894 mil.
O governador José Ivo Sartori (PMDB) participou da reunião do Fórum dos Coredes nesta quinta-feira. Tanto os conselheiros quanto Sartori concordaram que é importante garantir a execução integral dos recursos, para não aumentar o passivo, que hoje gira em torno de R$ 400 milhões. "Nosso acordo com o governo, neste ano, foi o seguinte: se algum contemplado não apresentar o projeto no prazo correto, que o valor seja destinado para executar algum passivo", disse Fernandes. O prazo para ajustar os projetos termina em 15 de agosto.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia