Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de julho de 2016. Atualizado às 18h36.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

13/07/2016 - 18h37min. Alterada em 13/07 às 18h37min

Cunha: Temos um presidente interino da Câmara que conduz a serviço do PT

Após o encerramento da sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que discutia recurso sobre o processo de cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado afastado disse que cumpre seu papel de defesa e culpou o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA) pela confusão na Câmara. "Temos aqui um presidente que está conduzindo essa interinidade a serviço do PT da Dilma, do Lula", disse Cunha.
O peemedebista lembrou as sucessivas mudanças de decisão de Maranhão, como o cancelamento de sessão do impeachment de Dilma Rousseff, que depois foi desfeito. Hoje, Maranhão mudou a sessão de eleição do novo presidente da Casa de 16 horas para 19 horas e depois para 17h30. Isso deu argumento para o presidente da CCJ Osmar Serraglio (PMDB-PR), encerrar a sessão.
"Graças a Deus vamos eleger hoje um presidente para voltar esta Casa a uma situação de normalidade", disse, antes de voltar a criticar seus opositores. "Temos aqui situações casuísticas que têm um intuito político daqueles que foram contra o processo de impeachment e que perderam suas boquinhas, como PT e o PCdoB. Tentam me dar uma punição para compensar a situação do impeachment", afirmou. Ele negou que tenha pedido ao presidente da CCJ o encerramento da sessão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia