Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de julho de 2016. Atualizado às 00h24.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 28/07/2016. Alterada em 27/07 às 20h21min

Papel de técnicos é fundamental na economia

Felipe Homem
Quem trabalha com público sabe: pode acertar 99%, mas o cliente vai lembrar daquele 1% errado. Com as redes sociais, o problema explode e não é raro ver empresas renomadas enfrentando situações embaraçosas que podem marcar sua reputação. Ao mesmo tempo, em praticamente todos os produtos e serviços, há concorrência e um consumidor insatisfeito pode encontrar facilmente outras fontes. É por isso que na administração não há muitas "segundas chances". É preciso estar preparado.
Nos últimos anos, viu-se uma especialização na formação profissional nas mais diversas áreas, o que pode restringir o campo de trabalho futuramente. Infelizmente, muitos só descobrem isso depois da formatura. Na contramão de muitas carreiras, está a área da Administração, ainda muito procurada pelo seu vasto espaço de atuação. O técnico em Administração é um profissional capacitado para trabalhar nos diferentes setores desta ciência. Ser dono do seu negócio é um dos sonhos clássicos do brasileiro e em tempos de crise também aparecem os empreendedores por necessidade. Em ambos, a gestão profissional é fundamental.
No Brasil, existe uma mentalidade de que todos devem ir para a graduação, que pela universidade se acessa a elite do País, algo influenciado por anos também pelo governo. Quem conhece a realidade dos mercados sabe que o papel dos técnicos é fundamental na economia, mesmo em países ricos. Eles são mais rápidos, acessíveis e mais conectados diretamente com os empregos, o que amplia as chances de conquistar uma vaga. Ao mesmo tempo, o apelo da graduação desviou a atenção dos jovens dos cursos técnicos, reduzindo os profissionais deste nível, o que beneficia o trabalhador em relação a vagas e salários. Bom para quem apostou e aposta no técnico!
Coordenador do curso técnico em Administração da Fundatec
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia