Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 02 de julho de 2016. Atualizado às 13h41.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

terrorismo

02/07/2016 - 13h25min. Alterada em 02/07 às 13h42min

Ataque reivindicado por Estado Islâmico mata 20 estrangeiros em Bangladesh

Todas as vítimas do ataque são pessoas estrangeiras

Assaltantes armados com pistolas e explosivos atacaram o Holey Artisan Café


DIBYANGSHU SARKAR/AFP/JC
Autoridades de Bangladesh informaram neste sábado (2) que subiu para 20 o número de mortes confirmadas em ataque terrorista a um café na cidade de Daca, capital do país. Todas os que morreram são estrangeiros e, segundo o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, havia italianos entre as vítimas.
Assaltantes armados com pistolas e explosivos atacaram o Holey Artisan Café, localizado em um bairro afluente perto de várias embaixadas, na sexta-feira à noite, gritando "Allahu akbar", disseram a polícia e testemunhas. As forças de segurança de Bangladesh, apoiadas por veículos blindados, conseguiram resgatar 13 pessoas. O general Ashfaq Naeem, diretor de operações militares do exército, disse que seis terroristas foram mortos.
Dois altos funcionários da polícia que tentaram negociar com os homens armados morreram quando os militantes detonaram um explosivo, segundo a polícia. Ainda divulgaram as nacionalidades dos outros mortos.
O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque, de acordo com o grupo de inteligência SITE, que monitora a atividade de extremistas islâmicos. Uma mulher, que não quis ser identificada, disse que seu filho, sua cunhada e seus dois filhos pequenos tinham saído do restaurante pouco antes de a polícia e os soldados entrarem. "Eles (terroristas) permitiram que todos os moradores locais deixassem o café antes de a polícia entrar", contou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia