Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de julho de 2016. Atualizado às 18h30.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Greve

25/07/2016 - 17h51min. Alterada em 25/07 às 18h31min

Depósitos poderão liberar veículos durante greve no Detran-RS

 Presidente do SINDET, sindicato dos servidores do Detran-RS deu coletiva de imprensa na Praça da Matriz, após corte de ponto.

Governo promete cortar ponto de grevistas, que fizeram ato em frente ao Piratini


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O Detran-RS vai permitir que os próprios depósitos privados possam liberar os veículos apreendidos. A medida, que deve entrar em vigor a partir desta terça-feira (26), será adotada devido à greve dos servidores do órgão que completou 15 dias nesta segunda (25) e permanece o impasse na negociação. Com isso, muitos condutores não conseguem retirar seus bens. 
O secretário de Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos do Estado, Raffaele Marsiaj Quinto Di Cameli, confirmou hoje a intenção de cortar o ponto dos grevistas, mas faz suspense sobre a implementação ainda na folha de julho, que fechar esta semana. "Para ter flexibilidade do governo, eles (grevistas) têm de acenar com trabalho", cobrou o secretário, que se reuniu duas vezes com o Sindicato dos Servidores do Detran (Sindet-RS) desde o começo da greve.
Sobre os depósitos, o secretário explicou que estão sendo resolvidos detalhes do sistema de registro para permitir a liberação pelos locais que são terceirizados. Cameli também confirma que os 140 contratos emergenciais, a maior parte de examinadores, serão renovados para garantir a realização de exames práticos. A maior parte fica em Porto Alegre. O Sindet-RS alega que a renovação contraria legislação e promete levar o caso ao Ministério Público.
"Há muito inoportunismo nesta greve. No caso dos contratos, íamos reduzir, mas vamos manter", disse Cameli. O titular da pasta também condicionou ao fim da paralisação a implementação das progressões da carreira, item da pauta, e que estão em atraso. O governo também disse que poderão ser dadas promoções e descarta reajuste, principal pleito da categoria. O secretário alegou que a situação financeira do Estado impede a correção e lembrou que a autarquia recebe em dia, sem parcelamentos. O Sindet-RS afirma que as progressões não são ganhos, pois já estariam previstas, mas até hoje não são pagas.
Em protesto na Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini, os servidores buscaram mostrar força nesta segunda. Segundo o sindicato, mais de 20 mil exames não foram realizados em 15 dias (o número contabiliza tanto suspensões como os agendamentos que não estão ocorrendo por falta de examinadores e aplicadores das provas. O exame teórico só é feito na sede do Detran-RS. Por dia, mil exames (teóricos e práticos) deixam de ser feitos, segundo o departamento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia