Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 24 de julho de 2016. Atualizado às 21h24.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Meio Ambiente

Notícia da edição impressa de 25/07/2016. Alterada em 24/07 às 22h38min

Em 4 meses, Ecobarreira recolheu 33 toneladas de lixo do Dilúvio

Entre os resíduos retirados estão garrafas PET, sacos de lixo e pneus

Entre os resíduos retirados estão garrafas PET, sacos de lixo e pneus


RICARDO GIUSTI/PMPA/JC
Instalada no arroio Dilúvio, entre as avenidas Borges de Medeiros e Edvaldo Pereira Paiva, em Porto Alegre, a Ecobarreira já retirou 33 toneladas de lixo que descem pelas águas até o Guaíba desde março, quando foi colocada. A cada dia, centenas de garrafas PET, sacos de lixo, pneus e frutas deterioradas são içadas em uma gaiola e removidas do local pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU).
O diretor-presidente do DMLU, Gustavo Fontana, lembra que, conforme estabelece o novo Código de Limpeza Urbana, jogar, descartar ou abandonar resíduos nas margens ou dentro de rios, córregos e arroios é considerado infração gravíssima, com multa de até R$ 5.256,14.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia