Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 23h49.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

Notícia da edição impressa de 15/07/2016. Alterada em 14/07 às 22h02min

Granizo danifica mais de 2,5 mil casas no Estado

Novo Hamburgo decretou situação de emergência devido aos estragos provocados pelo granizo

Novo Hamburgo decretou situação de emergência devido aos estragos provocados pelo granizo


LEONARDO SAVARIS/ESPECIAL/JC
Uma chuva de granizo com intensidade sem precedentes nas últimas décadas, de acordo com a MetSul Meteorologia, atingiu as regiões Norte e dos Vales do Sinos, do Rio Pardo e do Taquari na manhã desta quinta-feira. Conforme a Defesa Civil estadual, 2.563 residências e edificações foram atingidas.
A cidade de Novo Hamburgo decretou situação de emergência devido aos estragos causados pelas grandes pedras de gelo. Cerca de 300 casas foram danificadas nos bairros Liberdade, Santo Afonso, Industrial, Ideal, Rio Branco, Centro, Rondônia e Boa Saúde. São Leopoldo também emitiu decreto de situação de emergência e calamidade pública pelo mesmo motivo. A prefeitura informou que cerca de mil famílias do Arroio da Manteiga, Santa Helena, Jardim Luciana, Santos Dumont, Baum, Boa Vista, Santo Augusto, Feitoria e Scharlau foram afetadas.
O município de Viamão foi o que apresentou maiores danos, com 1,5 mil residências atingidas. Em Canela, na Serra, uma família está desalojada, devido ao risco de deslizamento da residência. Estragos também foram registrados em municípios da região Norte, como Água Santa, que teve cerca de 100 famílias atingidas. As coordenadorias regionais da Defesa Civil estão nos municípios prestando auxilio, coletando dados e vistoriando terrenos. As pedras de gelo não causaram danos apenas às telhas de residências, mas também pelo acúmulo do granizo, que entupiu calhas e bueiros e gerou problemas em estradas. Os temporais ainda alagaram casas, derrubaram árvores e postes, e causaram falta de energia elétrica e danos às lavouras. Não há registro de feridos.
A instabilidade deve continuar no Estado ainda nesta sexta-feira, quando existe possibilidade de pancadas de chuva nas regiões Norte e Nordeste. Já no fim de semana, a chuva dá lugar ao frio. O Instituto Nacional de Meteorologia emitiu um alerta sobre o declínio das temperaturas até domingo.
No sábado, existe possibilidade de geada na Campanha. Os termômetros oscilam entre três e 18 graus. Já no domingo, a geada pode ser registrada em todas as regiões, exceto no Litoral. O frio aumenta, com mínima prevista de dois graus negativos e, máxima, de 16 graus. Na Capital, pode chover na sexta-feira, mas em forma de pancadas. As temperaturas variam entre 14 e 20 graus. O sábado será nublado e frio, com mínima de 10 graus e máxima de 14. No domingo, a chance de geada ao amanhecer aumenta, e o sol retorna. As marcas variam entre quatro e 10 graus.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia