Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de julho de 2016. Atualizado às 19h40.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

fórmula 1

28/07/2016 - 19h42min. Alterada em 28/07 às 19h42min

Nasr comemora venda da Sauber para grupo suíço e mira 1º ponto da equipe no ano

Nasr vai em busca do primeiro ponto da equipe suíça na temporada 2016

Nasr vai em busca do primeiro ponto da equipe suíça na temporada 2016


ATTILA KISBENEDEK/AFP/JC
O acordo que mudou o comando da Sauber trouxe alegria e sorrisos de volta à equipe da Fórmula 1, afirmou o piloto brasileiro Felipe Nasr, nesta quinta-feira. Sem esconder o alívio pelo acerto, que deve amenizar ou até mesmo acabar com a grave crise financeira que atinge a equipe suíça, Nasr até já projeta somar o primeiro ponto do time no ano no GP da Alemanha, em Hockenheim no domingo.
"Foi uma ótima notícia. Fiquei feliz pela equipe por ter estes novos investidores assumindo tudo. Isso traz maior estabilidade ao time, principalmente aos seus funcionários. Deu para ver o sorriso voltando ao rosto das pessoas novamente, voltando ao trabalho. Agora só precisam se concentrar em fazer cada um o seu trabalho", afirmou.
Em grave crise desde o início do ano, a Sauber trocou de mãos na semana passada. Fundada pelo lendário Peter Sauber, a equipe foi vendida para o grupo suíço Longbow Finance. Presidente e CEO do grupo, Pascal Picci assumiu a função de Peter Sauber como presidente do Grupo Sauber.
O acordo veio em boa hora porque a equipe vinha mostrando limitações cada vez maiores dentro e fora das pistas, gerando preocupação entre seus funcionários. Os salários dos funcionários foi atrasado diversas vezes e a indisponibilidade de verba gerou péssimos resultados na pista, prejudicando inclusive o segundo ano de Felipe Nasr na Fórmula 1.
O piloto brasileiro e seu companheiro de equipe, Marcus Ericsson têm sofrido com carros claramente mais lentos, estão entre os piores da temporada e sequer somaram pontos em 2016, após 10 provas disputadas. Ambos tem a 12ª colocação como melhores resultados no ano.
"Estávamos limitados no que podíamos fazer na pista, sobre o desenvolvimento e a performance do carro. Não conseguíamos destravar as coisas no carro porque não tínhamos recursos", disse Nasr, já vislumbrando um futuro viável para a equipe. "Agora podemos olhar para o curto e o longo prazos. Acredito que temos pessoas sérias por traz deste novo grupo. Acredito que poderemos ter boas atualizações depois do recesso de verão."
Mais animado, Nasr até projeta somar o primeiro ponto da equipe na temporada, no domingo. "Estou fazendo tudo o que posso. Em alguns momentos, nas últimas provas, ficamos bem perto disso. Precisamos só de um pouco mais do carro para sermos mais competitivos, principalmente no treino classificatório", comentou o piloto brasileiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia