Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 18h11.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Rio-2016

Notícia da edição impressa de 27/07/2016. Alterada em 27/07 às 18h11min

Bolt quer recuperar prestígio do atletismo após escândalo de doping

Atleta irá defender no Rio de Janeiro as três medalhas de ouro conquistadas nos Jogos Olímpicos de Londres

Jamaicano irá defender os três ouros conquistados em Londres/2012


JUSTIN TALLIS/AFP/JC
O velocista jamaicano Usain Bolt chamou para si a responsabilidade de restaurar a moral do atletismo, em meio ao escândalo de doping que tirou o time russo dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Em entrevista coletiva em Londres, o atleta disse que o esporte precisa dele, embora o fantasma das lesões ainda o assombre. "Eu sei que o esporte precisa de mim para vencer, e dar a volta por cima", disse, quando questionado sobre a crise do doping.
Principal estrela do atletismo nos Jogos, o jamaicano considera a possibilidade de não se aposentar após as Olimpíadas, não descartando, inclusive, uma possível presença em Tóquio/2020. "Meu técnico sempre diz: 'Usain, você pode ir para as Olimpíadas de 2020 se você quiser'. Então é por isso que ele me diz para parar de falar sobre aposentadoria e simplesmente viva um ano de cada vez", disse o atleta.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia