Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de julho de 2016. Atualizado às 13h24.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Rio-2016

11/07/2016 - 10h58min. Alterada em 11/07 às 13h26min

Sharapova está oficialmente fora da Olimpíada após adiamento de recurso

Sharapova foi pega em um exame antidoping e está suspensa desde fevereiro depois que foi registrado a presença da substância Meldonium em suas amostras

Sharapova foi pega em um exame antidoping e está suspensa desde fevereiro depois que foi registrado a presença da substância Meldonium em suas amostras


SAEED KHAN/AFP/JC
Uma das maiores estrelas do esporte russo, apontada como uma atração de peso para a Olimpíada, Maria Sharapova teve sua chance de participar da Olimpíada do Rio encerrada nesta segunda-feira (11), quando a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) anunciou o adiamento do julgamento do recurso apresentado pela tenista contra a sua suspensão por doping por dois anos para o dia 19 de setembro.
Na prática, isso significa que seu processo não será avaliado antes dos Jogos do Rio, que começam no dia 5 de agosto. Segundo o tribunal, o adiamento foi acordado com a Federação Internacional de Tênis.
Sharapova foi pega em um exame antidoping e está suspensa desde fevereiro depois que foi registrado a presença da substância Meldonium em suas amostras. A russa poderia voltar ao circuito mundial do tênis apenas depois da edição de 2018 do Aberto da Austrália.
Assim, o Rio perde uma das maiores estrelas do evento, com 35 títulos internacionais e uma fortuna pessoal de US$ 240 milhões. Seu lugar será ocupado por Daria Kasatkina, de 19 anos.
A jogadora havia admitido que havia consumido o produto. Mas indicou ainda em março que não sabia que o Meldonium passou a ser proibido a partir de janeiro de 2016. A russa alegava que tomava o remédio - indicado para problemas cardíacos - desde 2006. Mas já em setembro de 2015 a Agência Mundial Anti-Doping anunciou que a substância seria proibida a partir de 1º de janeiro de 2016.
A tenista, que acusou a suspensão de ser injusta, recorreu à CAS. Mas esperava uma decisão final antes da Olimpíada. A corte, porém, indicou que decidiu adiar a decisão para o dia 19 de setembro para poder avaliar melhor o caso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia