Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de julho de 2016. Atualizado às 08h59.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

29/07/2016 - 09h00min. Alterada em 29/07 às 09h00min

Bolsas da Europa operam em alta, mas setor de energia pressiona Londres

As bolsas europeias operam na maioria em alta, com as ações do setor financeiro se destacando, antes da divulgação dos resultados dos testes de estresse do setor bancário no continente. Com isso, o mercado europeu caminha para seu melhor desempenho mensal em nove meses. Algumas bolsas europeias, porém, operavam mais perto da estabilidade e Londres era pressionada, em leve baixa após alguns balanços fracos e em uma manhã negativa para o petróleo e o cobre.
As ações de bancos italianos e espanhóis se saíam bem. O papel do italiano Banca Monte dei Paschi di Siena subia 6,00%, após a instituição revelar que recebeu propostas do banco suíço UBS. Não foi revelado nenhum detalhe sobre o tema. UBS avançava 2,63% na Bolsa de Zurique. Em Madri, BBVA subia 4,15%, após o lucro do banco cair no segundo trimestre, mas menos que o antecipado pelos analistas. Santander tinha alta de 2,88%.
Executivos do setor e investidores aguardam os resultados dos testes de estresse de 51 bancos, realizados pela Autoridade Bancária Europeia, previstos para 15h (de Brasília). Os testes devem revelar quais instituições necessitam de mais capital, na eventualidade de uma nova crise econômica.
Os preços do petróleo operam em queda nesta sexta-feira, diante do excesso de oferta nesse mercado, o que mantém os contratos perto das mínimas em três meses. Isso pressiona o setor de energia, em uma manhã também de queda do cobre. Em Londres, a ação da BP recuava 0,32%. Entre as mineradoras, Antofagasta caía 0,60% e Anglo American tinha queda de 1,17%. Além disso, a Bolsa de Londres é pressionada por alguns balanços fracos, como da Reckitt Benckiser e da Pearson. Por outro lado, Barclays subia 8,16%, após divulgar resultados bem recebidos pelo mercado.
Na agenda de indicadores, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,3% no segundo trimestre ante o anterior e avançou 1,6% no ano, segundo números preliminares - a variação trimestral veio em linha com a expectativa, mas o ganho anual veio um pouco acima dos 1,6% esperados. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 0,2% no mês na preliminar de julho, acima da previsão de +0,1%, enquanto o desemprego da região da moeda comum manteve-se em 10,1% em junho, como esperado. O PIB da França ficou estagnado no segundo trimestre ante o anterior, quando analistas previam crescimento de 0,2%.
Às 8h33min (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,09%, Frankfurt subia 0,38% e Paris avançava 0,18%. No câmbio, o euro avançava a US$ 1,1109 e a libra subia para US$ 1,3177.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia