Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 17h54.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Notícia da edição impressa de 27/07/2016. Alterada em 27/07 às 17h56min

Investimento Direto no País registra saída de US$ 1,7 bilhão em julho

Déficit foi maior que o esperado pela autoridade monetária, diz Maciel

Déficit foi maior que o esperado pela autoridade monetária, diz Maciel


MARCELO CAMARGO/ABR/JC
A valorização do real nos últimos meses e os sinais de estabilização da atividade econômica levam a uma previsão de que o ajuste das contas externas venha em ritmo mais lento no segundo semestre. A avaliação é do chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. No primeiro mês do novo semestre, julho, o déficit em conta corrente deve alcançar US$ 4,3 bilhões.
De acordo com o técnico, no déficit até junho foi observado um ajuste significativo nas contas, motivado exatamente por um câmbio mais desvalorizado e pela recessão econômica. "Em junho, tivemos uma redução no ritmo do ajuste externo. Isso pode ser atribuído à menor intensidade desses fatores, que estiveram presentes ao longo de 12 meses", explicou.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia