Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de julho de 2016. Atualizado às 17h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

25/07/2016 - 18h00min. Alterada em 25/07 às 18h00min

Petróleo fecha em queda com preocupações sobre oferta e demanda

Os contratos futuros de petróleo recuaram para o menor patamar em três meses nesta segunda-feira (25) com a preocupação dos investidores sobre os excedentes da commodity e a demanda fraca.
O petróleo WTI para setembro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) recuou 2,39%, para US$ 43,13 por barril - no menor fechamento desde 25 de abril -, enquanto o Brent para o mesmo mês, negociado em Londres, caiu 2,12%, a US$ 44,72 o barril, no menor fechamento desde 9 de maio.
Os preços vêm recuando em julho, à medida que os traders mantêm um olhar atento aos excedentes de gasolina, que estão pressionando os futuros do petróleo. Por mais que estoques de gasolina estejam aumentando durante o verão do Hemisfério Norte, as refinarias continuam operando a todo o vapor, e a demanda de centros tradicionais na Ásia está diminuindo ao passo que a produção chinesa aumenta.
"O sentimento do mercado é sombrio", de acordo com analistas do Commerzbank. "Os investidores financeiros estão se retirando do mercado de petróleo e, consequentemente, gerando um aumento da pressão de venda."
A demanda global por petróleo para o terceiro trimestre deste ano está crescendo a menos de um terço da taxa verificada no mesmo período do ano passado, de acordo com o Barclays. Um crescimento econômico mais lento tem sido o grande responsável.
Além disso, o número de plataformas de extração em atividade nos EUA está aumentando juntamente com a preocupação do mercado sobre a resiliência do petróleo de xisto. Na sexta-feira, a Baker Hughes afirmou que a contagem de plataformas nos EUA subiu em 14 para 371, marcando a quarta semana consecutiva de aumento. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia