Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de julho de 2016. Atualizado às 14h51.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

22/07/2016 - 14h51min. Alterada em 22/07 às 14h51min

PLD cai 3% no Sudeste e Sul e sobe 5% no Norte e Nordeste, informa CCEE

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) informou que o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período entre 23 e 29 de julho caiu 3% nos submercados Sul e Sudeste/Centro-Oeste, passando de R$ 79,96/MWh da semana anterior para R$ 77,36/MWh. Já o PLD do Nordeste e do Norte subiu 5%, na comparação com o valor da última semana, e alcançou R$ 117,05/MWh.
O Nordeste e o Norte permanecem recebedores de energia do Sudeste até que seus limites de recebimento sejam atingidos, assim, o preço destes submercados ficam diferentes dos demais. Uma vez que os limites entre o Nordeste e Norte não são atingidos, os preços são idênticos entre eles. Já os limites de intercâmbio entre o Sudeste e o Sul não são atingidos e seus preços permanecem acoplados.
A CCEE também informou que as afluências previstas para julho no Sistema Interligado Nacional (SIN) foram elevadas de 81% para 86% da Média de Longo Termo (MLT), com destaque para o índice do Sul, que voltou a superar a média histórica (109%). Para o Sudeste, a previsão de Energia Natural Afluente (ENA) é de 90% da média histórica, enquanto no Nordeste é de 32% e de 50% da MLT para o Norte.
Os níveis dos reservatórios do sistema registraram alta de 3.300 MW médios, impulsionada pelos índices de todos os submercados, exceto no Norte (-50 MW médios). O aumento foi de 1.400 MW médios no Sudeste, 1.900 MW médios no Sul e de 50 MW médios no Nordeste.
A câmara de comercialização também atualizou o fator de ajuste do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) esperado para julho, que agora é de 90,1%, ante os 92,8% estimados anteriormente. A previsão de Encargos de Serviços do Sistema (ESS) subiu para R$ 151 milhões no período, sendo R$ 90 milhões referentes à segurança energética.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia