Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de julho de 2016. Atualizado às 22h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios corporativos

Notícia da edição impressa de 22/07/2016. Alterada em 21/07 às 22h34min

Fusões e aquisições tiveram recuo de 7% no primeiro semestre

As operações de fusão e aquisição no Brasil tiveram um recuo de 7% no número de negócios e de 14% em volume financeiro no primeiro semestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento divulgado pela consultoria espanhola Transactional Track Record (TTR). De acordo com a TTR, foram registradas 441 transações, que movimentaram R$ 76,5 bilhões, considerando os negócios que tiveram as cifras reveladas, diz o relatório elaborado em parceria com a Merrill Corporation. No ano passado, foram 471 negócios, que giraram R$ 88,8 bilhões no primeiro semestre de 2015.
"Tanto em 2014 quanto em 2015, o segundo semestre teve um desempenho melhor que o primeiro. Existe a expectativa de que isso também aconteça neste ano", diz Wagner Rodrigues, diretor de pesquisa e negócios da TTR para o mercado brasileiro. No levantamento, a TTR considera aquisições, fusões e joint ventures (totais e minoritárias). Também estão no cálculo os recursos dos fundos de private equity e venture capital investidos em empresas.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia