Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de julho de 2016. Atualizado às 08h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

21/07/2016 - 08h34min. Alterada em 21/07 às 08h34min

Bolsa de Tóquio volta a subir com notícia sobre pacote fiscal e iene fraco

A Bolsa de Tóquio retomou o recente tom positivo e fechou em alta nesta quinta-feira (21), em meio a notícias de que o governo japonês pretende lançar robustas medidas de estímulos e a tendência de enfraquecimento do iene ante o dólar.
O Nikkei, índice que reúne as ações mais negociadas na capital do Japão, subiu 0,77%, a 16.810,22 pontos, depois de recuar 0,25% no pregão anterior.
A especulação sobre novos estímulos federais ganhou força após a mídia local divulgar que o governo japonês estaria preparando um pacote de incentivos fiscais no valor de 20 trilhões de ienes (US$ 187 bilhões). Apostas de que Tóquio planeja medidas ousadas vêm sustentando o mercado japonês desde que a coalizão governista do primeiro-ministro Shinzo Abe conquistou uma ampla vitória na eleição parlamentar de quase duas semanas atrás.
Além disso, recentes indicadores favoráveis da economia dos EUA têm ajudado a impulsionar o dólar em relação ao iene, favorecendo as ações de exportadoras japonesas em Tóquio.
A montadora Honda, que é uma grande exportadora, subiu 4,5% nos negócios da bolsa japonesa hoje. No setor financeiro, o destaque foi o grupo financeiro Nomura Holdings, que saltou 5%.
Já a Nintendo, que nas últimas semanas acumulou fortes ganhos na esteira do sucesso de seu recém-lançado jogo para smartphones, o Pokémon Go, teve alta relativamente moderada nesta quinta, de 0,8%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia